Events

Feed icon 28x28
Ap.rb original

Videos provided by Tropical Ruby Conference, recorded by Hugo Borges

Tropical Ruby Conference Abril Pro Ruby 2014 Schedule

April 26, 2014

( 14 available presentations )
Screenshot 2014 12 11 at 2.48.39 pm thumb
Rating: Everyone
Viewed 98 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 11, 2014

Apresentado por Renee Hendricksen no Abril Pro Ruby 2014 (http://abrilproruby.com/).

Alguma vez você já se perguntou como a sua escolha de algoritmo pode impactar a performance do seu app? A notação Big-O realmente importa fora das aulas de Ciência da Computação? Vamos analisar alguns algoritmos base em Ruby e investigar como nossas decisões de implementação podem fazer-ou-quebrar nossas apps!

Screenshot 2014 12 11 at 2.56.18 pm thumb
Rating: Everyone
Viewed 95 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 11, 2014

O mundo Ruby tem sido protagonista de um novo momento do empreendedorismo no mercado de tecnologia. Muitas são as técnicas, novas especificações e convenções que são criadas para facilitar e melhorar o desenvolvimento de aplicativos, principalmente Web. Mas esse novo contexto muda completamente a maneira como estávamos acostumados a desenvolver. Atualmente, o papel do desenvolvedor Ruby extrapola a programação, e avança dentro do processo de criação de produto, inovação, e participação efetiva em decisões que podem determinar o sucesso ou a falha de uma aplicação. Nesta palestra, irei demonstrar como é possível expandir o mindset de desenvolvimento de aplicativos para o desenvolvimento de produtos.

Screenshot 2014 12 11 at 2.58.23 pm thumb
Rating: Everyone
Viewed 96 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 11, 2014

Apresentado por Marcio Trindade no Abril pro Ruby 2014.

Vamos passar pelas principais novidades do Ruby 2.1 e mostrar como as alterações no Garbage Collector tornaram esta versão aproximadamente 20% mais rápida do que a versão anterior.

Screenshot 2014 12 11 at 2.59.32 pm thumb
Rating: Everyone
Viewed 87 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 11, 2014

Apresentado por Lucas Dohmen no Abril Pro Ruby 2014.

Domain Driven Design é um processo de desenvolvimento de software que se concentra em encontrar uma linguagem comum para as partes envolvidas. Esta linguagem e os modelos resultantes são extraídos a partir do domínio e não de detalhes técnicos da implementação. O objetivo é melhorar a comunicação entre clientes, desenvolvedores e todos os outros grupos envolvidos. Mesmo que o livro de Eric Evan sobre este tópico tenha sido escrito há quase dez anos, este tema continua a ser importante porque vários projetos falham por razões de comunicação. Bancos de dados relacionais têm sua própria linguagem e influenciam o projeto do software em uma direção mais longe do domínio: entidades têm de ser criadas com o único propósito de aderir às melhores práticas de banco de dados relacional. Dois tipos de bancos de dados NoSQL estão mudando isso: bancos de documentos e bancos de grafo. Em um banco de documentos, você pode modelar uma relação de contenção de uma forma mais natural e, assim, expressar se uma dada entidade pode ou não existir fora da entidade que a contém. Um banco de dados de grafo permite modelar relações entre entidades de uma forma simples, que pode ser expressa na linguagem do domínio.

Screenshot 2014 12 12 at 10.23.14 am thumb
Rating: Everyone
Viewed 98 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 12, 2014

Apresentado por Arthur Neves no Abril Pro Ruby 2014.

Bancos de dados sempre foram um dos nossos primeiros gargalos ao tentar distribuir o Shopify em múltiplos servidores. Atualmente, bancos NoSQL são cada vez mais populares, especialmente porque eles escalam sem precisar de muitos ajustes. Na Shopify, nós decidimos não usar um banco de dados NoSQL como nossa fonte de dados canônica e, para escalar de forma adequada, tivemos que criar soluções customizadas para particionar nossos dados. Eu falarei sobre como nós fizemos isto usando Ruby e Rails e quando você deve particionar uma grande base de dados.

Screenshot 2014 12 12 at 10.25.11 am thumb
Rating: Everyone
Viewed 95 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 12, 2014

Apresentado no Abril Pro Ruby 2014 por Guilherme Garnier.

Há alguns anos, muitas pessoas diziam que Rails não escalava. Atualmente, existem muitas aplicações grandes em Rails que mostram que isso não é verdade. Mas quando seu projeto cresce, até que ponto vale manter tudo numa única aplicação? Nesta apresentação, vou mostrar detalhes de uma arquitetura distribuída com serviços, apresentando os principais pontos positivos e negativos desta abordagem. Será apresentado como exemplo o caso do projeto Globo.tv (http://globotv.globo.com/), onde utilizamos esta arquitetura para permitir que diferentes times trabalhem juntos.

Screenshot 2014 12 12 at 10.27.03 am thumb
Rating: Everyone
Viewed 93 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 12, 2014

Screenshot 2014 12 12 at 10.28.22 am thumb
Rating: Everyone
Viewed 96 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 12, 2014

Apresentado no Abril Pro Ruby 2014 por Pablo Astigarraga.

Ao longo dos anos aprendemos a prestar atenção na importância de uma série de qualidades altamente desejáveis em software: legibilidade, facilidade de manutenção, adaptação à mudança. Nós aceitamos estes valores como bons e ativamente os perseguimos. Ainda assim, consistemente ignoramos o que talvez seja o melhor método de atingir estas qualidades. Lenta mas firmemente, a filosofia de adotar a simplicidade no projeto de software cuidadosamente calculando e minimizando a complexidade desnecessária está ganhando força na nossa comunidade, e por uma boa razão: ela organicamente nos direciona para as melhores práticas de software que todos nós conhecemos e amamos e, ao mesmo tempo, abrange todos os princípios fundamentais que a comunidade Ruby tem desenvolvido ao longo dos anos enquanto rejeita muitas das práticas comuns que carregamos baseados na inércia mas que contradizem diretamente estes valores. Nesta palestra, eu exploro minha jornada nesta mudança de perspectiva a partir de certos fragmentos da nossa comunidade e como pensar em simplicidade como um dos nossos principais valores pode nos levar a ser melhores desenvolvedores ao produzir melhor qualidade de software. Nós não precisamos mais de nossas muletas, vamos deixá-las juntos!

Screenshot 2014 12 12 at 10.30.11 am thumb
Rating: Everyone
Viewed 110 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 12, 2014

Apresentado no Abril Pro Ruby 2014.

O framework Rails contém um conjunto de recursos úteis para toda aplicação Web, mas nem todo recurso está bem implementado e livre de bugs. Durante a palestra, nós vamos passar por dois recursos muito antigos de Rails — os scopes de Active Record e a sanitização de HTML — e explicar como eles funcionam por baixo dos panos. Também vão ser apresentados os problemas atuais que estamos enfrentando e como eles podem ser melhorados.

Screenshot 2014 12 12 at 10.33.27 am thumb
Rating: Everyone
Viewed 89 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 12, 2014

Screenshot 2014 12 12 at 10.37.37 am thumb
Rating: Everyone
Viewed 81 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 12, 2014

Apresentado no Abril Pro Ruby 2014 por Scott Motte.

Vamos avaliar se os tradicionais usuário e senha são a melhor forma de autenticação. Eu acho que existe um melhor caminho. Lancei um projeto de código aberto chamado Handshake.js que implementa um mecanismo de autenticação apenas com e-mail. Venha ver uma palestra sobre os pontos fortes e fracos desta nova abordagem, bem como uma demonstração ao vivo mostrando como implementar isto em sua próxima aplicação Ruby.

Screenshot 2014 12 12 at 10.40.16 am thumb
Rating: Everyone
Viewed 87 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 12, 2014

Apresentado no Abril Pro Ruby 2014.

Sistemas distribuídos são grandes, em todos os sentidos da palavra. Das maiores redes sociais e engenhos de busca até a mais simples aplicação iOS ou Web, sistemas distribuídos causam problemas, que vêm de sua melhor funcionalidade: o sistema deve continuar funcionando mesmo quando partes dele quebram. Aplicações de cliente sem conexão à rede ainda precisam capturar dados, backends com um ou outro serviço falhando não devem quebrar toda a aplicação, e a aplicação ainda deve funcionar adequadamente quando o grande datacenter (você sabe qual) sai do ar. Como você cresce uma aplicação Rails simples e monolítica para um sistema distribuído? O que é necessário para fazer a sua UI guardar os dados até a conexão de rede voltar? E como você testa tudo isso? Irei apresentar um apanhado de conceitos, arquiteturas e experiências, com algumas ferramentas para tornarem os sistemas distribuídos menos obtusos.

Screenshot 2014 12 12 at 10.43.28 am thumb
Rating: Everyone
Viewed 118 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 12, 2014

Apresentado no Abril Pro Ruby 2014.

Sempre houve espaço na comunidade Ruby para os desenvolvedores se expressarem através do minimalismo. Eles usam ferramentas muito simples para resolver problemas complexos. Nesta apresentação irei demonstrar algumas dessas ferramentas e elaborar os princípios guiando o seu design.

Screenshot 2014 12 12 at 10.45.00 am thumb
Rating: Everyone
Viewed 195 times
Recorded at: April 26, 2014
Date Posted: December 12, 2014

Apresentado no Abril Pro Ruby 2014.